Crítica: Angry Birds 2

Angry Birds 2‘ é uma evolução comparado ao primeiro. E muito desse mérito se deve a expansão do universo e os novos personagens.

Angry Birds 2

Depois do sucesso do game no Facebook e nos smartphones, não demorou para anunciarem um filme. Mas diferente dos longas inspirados em games, a comédia em Angry Birds salvou ele da maldição do gênero.

Agora, temos a sequencia do filme trazendo novos personagens e uma história mais complexa. Claro que todos os elementos do primeiro estão presentes. Desde as ‘tretas’ dos Porcos contra os Pássaros e os estilingues lançando coisas inusitadas.

Entretanto dessa vez não passa de um cenário inicial para o humor do filme. Logo essa briga é deixada de lado por conta de uma nova ameaça, a recém descoberta ilha das Águias.

Angry Birds 2

Nessa nova ilha as Águias estão atacando as demais para ocuparem os lares dos outros animais. Afinal, sua ilha é gelada e querem uma ‘boa vida’. Para isso a super arma é uma lançador vulcânico que obriga os Pássaros e os porcos a terem uma trégua e se unirem para salvar seus lares.

Pouco tempo depois do lançamento de ‘Top Dog‘ é bom ver que uma animação consegue passar uma boa mensagem para o público infantil. Afinal, se deixarmos nossas diferenças de lado e nos unirmos, juntos podemos salvar o mundo. Ainda nessa boa mensagem, temos a vilã que quer uma boa vida para a filha. Filha que ela criou sozinha após ter sido abandonada pelo pai. Esse que acredita que toda essa guerra é por conta do que ele fez, excelentemente rebatido quando ela diz que não precisava dele para nada.

Angry Birds 2 é a aposta da Sony para o mês do Dia das Crianças com uma aventura cheia de cores. Recomendadíssima, ainda mais pela atualidade dos memes do filme.

Nossa nota
Nota dos leitores
[Total: 0 Average: 0]

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *