Crítica: Mighty Morphin Power Rangers

Mighty Morphin Power Rangers” foi o início de um sucesso que perdura até hoje. Mas tão grande quanto o sucesso, foram as polêmicas.

Mighty Morphin

O ano era 1993 e as produções japonesas estavam em alta. Por essa oportunidade, também houve investimento nos Tokusatsu. Mas precisavam de uma adaptação cultural melhor e é aqui que temos os Power Rangers. Com um elenco ocidental e tramas em torno do que vivemos, a série se tornava mais barata ao reaproveitar as lutas das originais. Assim, temos material original em história, mas com reaproveitamento do material japonês.

Com o poder dos dinossauros, os cinco primeiros jovens escolhidos por Zordon assumem o manto de Power Rangers. Jason, o vermelho e líder com seu tiranossauro; Billy, inteligente com o triceratops, envolto em polêmicas o preconceito que sofreu durante as gravações; Trini, ranger amarela com o tigre dentes de sabre, que gerou memes, pois no original era um homem e um certo volume se destacava; Zachary, ranger preto com seu mastodonte, e a polêmica do negro ser o preto; Kimberly, a patricinha ranger rosa com o pterossauro; e por fim temos Tommy, ranger verde e mais tarde branco.

Mighty Morphin

O objetivo do grupo era impedir que Rita Repulsa destruísse o planeta. Mais tarde temos Lord Zedd e na terceira temporada Rito Revolto. Também temos mudanças nos rangers com a saída de praticamente todo o grupo original. Os novos rangers foram Rock, o vermelho; Kat e Aisha, rosa e amarela respectivamente; e por fim, Adam, novo ranger preto.

“Mighty Morphin Power Rangers” traz uma estrutura simples. Episódios curtos, monstro da semana, lição de moral e principalmente a luta do Megazord com o monstro gigante. Mas essa é a prova de que menos, pode ser mais. Porém, é também o início de uma grande saga com uma rica estrutura universal.

Nossa nota
Nota dos leitores
[Total: 1 Average: 3]

Frednunes

Fred, primeiro de meu nome, técnico em Gestão Pública, mestre pokémon, nerd, pós graduado em Comunicação, viciado em séries, duelista, MBA em Gestão de Pessoas, administrador, apresentador e dono do Futari.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Lucas disse:

    Muito datado, tem q ter ânimo pra ver

  2. Tiago disse:

    Legalzinho…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.