Crítica: Malévola

Baseado no conto da Bela Adormecida, “Malévola” é mais uma produção da Disney que busca trazer seus desenhos para os filmes modernos. 

Malévola

O filme acompanha a história da famosa vilã da Disney. Malévola é responsável pela proteção de seu Reino da inveja dos homens, e é logo no começo do filme que vemos Stefan, uma criança humana que invade aquele espaço sem permissão. Juntos eles desenvolvem uma amizade que contraria os valores do reino dos humanos, e ao longo de anos, essa amizade evolui para algo mais. 

Mas é neste ponto em que o filme aponta a busca de poder por parte dos humanos. Stefan que era apenas um plebeu se rende a tentação, e decide trair Malévola e cortar suas asas para dar ao Rei, sendo assim o próximo a assumir o trono. No entanto, já Rei, Stefan tem uma filha, e decide fazer uma celebração, mas é aí que aparece a Malévola para lançar a famosa maldição que todos nós conhecemos. 

Malévola

O filme mantém boa parte dos elementos do conto, mas o fator que deve ser realmente elogiado é a computação gráfica. Tanto as criaturas, quanto o muro de espinhos sendo levantado são bem detalhados e interessantes. Mas, talvez, um fator que poderia se desenvolver mais é o emocional tanto da protagonista quanto da princesa, que quase não se destaca no filme. 

“Malévola” tem como finalidade mostrar a história da vilã de A Bela adormecida e explicar o motivo de sua maldade, e conclui bem esse objetivo. Juntamente de sua computação gráfica e trilha sonora, o filme se torna bom para se assistir. 

Nossa nota
Nota dos leitores
[Total: 1 Average: 4]

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Tiago disse:

    Bom filme para uma noite de pipoca.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.